6 maneiras de guardar dinheiro para o futuro dos filhos

guardar dinheiro para os filhos

Quem tem filhos sabe melhor que ninguém que um filho fica “caro”. Despesas com alimentação, vestuário, despesas de saúde, transporte, material escolar, entre outas, comem uma fatia significativa dos rendimentos das famílias com filhos.

E, assim sendo, se tem filhos continue a ler este artigo porque irá aprender algumas dicas para melhorar as suas finanças pessoais e conseguir guardar dinheiro para o futuro dos seus filhos.

6 maneiras de guardar dinheiro para o futuro dos filhos

1. Saiba para onde está a ir o seu dinheiro

Existem muitas pessoas / famílias que terminam sempre o mês a zeros e não conseguem guardar um único euro. Se este é o seu caso provavelmente não tem por hábito fazer um orçamento mensal e muito menos o hábito de poupar.

Então a primeira dica é começar a fazer o seu orçamento mensal. Pode usar uma simples folha de papel ou se tiver facilidade de usar o computador, pode usar o Excel.

Basicamente terá que anotar o rendimento familiar mensal de um lado e todas as despesas do outro. Mas nas despesas separe as despesas fixas (prestações de créditos, água, luz, telecomunicações, combustível, etc.) das despesas variáveis.

Nas despesas fixas mensais adicione o montante que deseja guardar mensalmente para o futuro dos seus filhos. Fazendo isso, estará a priorizar a poupança, dizendo a si próprio que é mais importante guardar dinheiro para o futuro dos seus filhos do que comprar coisas banais que não acrescentam nada à sua vida.

No final faça as contas, e caso as despesas sejam superiores às receitas, analise ao pormenor as despesas variáveis e tente identificar itens que não são essenciais e que podem ser cortados de forma a manter o orçamento equilibrado.

Poderá ter interesse:  Onde encontrar Imóveis Penhorados em Portugal? Descubra aqui

2. Seja consistente

Reveja o seu orçamento sempre que houver alguma mudança significativa, quer seja do lado dos rendimentos ou do lado das despesas.

Por exemplo, em tempos de crise, os pais podem sofrer algum tipo de corte salarial e isso obviamente irá impactar o orçamento mensal.

O mesmo acontece se houver algum aumento nas despesas fixas (como por exemplo aumento das prestações do crédito à habitação) e, é por isso, que convém manter o orçamento atualizado.

Em tempos de crise ou de maior aperto financeiro, se tiver de escolher entre a “despesa fixa” da poupança para os seus filhos ou alguma despesa variável, como por exemplo: férias, jantar fora, comprar uma televisão nova, comprar roupa cara, etc., escolha sempre a poupança. No longo prazo irá compensar e ao olhar para trás verá que foi a opção certa.

3. Se tiver mais que um crédito (pague primeiro aquele que tiver a taxa de juro mais alta)

Normalmente, a maior fatia das despesas fixas das famílias vai para pagar a habitação (seja a renda ou a prestação do crédito à habitação). Mas o maior problema é que muitas famílias têm ainda outros créditos que muitas vezes incluem crédito ao consumo e/ou dívidas no cartão de crédito, sendo que estes tipos de créditos são os que têm as taxas de juro mais altas. No que diz respeito aos cartões de crédito, as taxas de juro são em muitos casos superiores a 15%, e por isso, se tem dívidas deste tipo, faça um esforço extra para eliminar essa dívida o mais rapidamente possível. O dinheiro que deixará de pagar em juros poderá poupá-lo e guardá-lo para os seus filhos.

Poderá ter interesse:  Mais-valias: Como Calcular e Declarar no IRS

Em certos casos, para quem tem muitos créditos poderá ser vantajoso optar por uma consolidação de créditos.

4. Invista o dinheiro que está a conseguir guardar mensalmente

Uma vez que o objetivo é guardar dinheiro para o futuro dos filhos, e se esse futuro ainda está a alguns anos de distância, deve pensar em investir o dinheiro em vez de o deixar parado no banco (a render pouco ou nada).

Como não irá precisar desse dinheiro para o dia de amanhã, existem vários tipos de investimento que podem gerar um bom retorno anual, expondo-se a um risco baixo ou moderado.

5. Venda as coisas que os seus filhos já não precisam

À medida que os filhos crescem existem várias coisas que comprou e que agora já deixaram de ter utilidade. Por isso, pode colocar esses itens à venda, por exemplo, na internet, e guardar o dinheiro obtido dessas vendas.

6. Ensine os seus filhos a poupar

Já que está empenhado em guardar dinheiro para o futuro dos seus filhos aproveite e incuta-lhes o hábito de poupar.

Muitas crianças recebem as prendas de aniversário, Páscoa e Natal em dinheiro, e se esse é o caso dos seus filhos comece a ensinar-lhes a importância de poupar e convença-os a guardar pelo menos uma parte do dinheiro que recebem nessas ocasiões.

Se colocar em prática as dicas indicadas neste artigo, certamente irá conseguir juntar um bom pé-de-meia para o futuro dos seus filhos.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *