Transferir o Crédito habitação

transferir crédito habitação

Hoje falamos de se deve ou não Transferir o crédito habitação. Com os preços das casas e as taxas de juro altas, os clientes têm estado numa procura constante de melhores condições nos seus contratos crédito, onde muitas vezes a negociação do crédito habitação não correu como esperado.

Nestes casos, não restam muitas hipóteses às pessoas a não ser resignar-se ao resultado da negociação ou procurar melhores pessoa a transferir o crédito habitação para outra instituição de crédito, solução que tem permitido poupanças de milhares de euros a várias famílias e aumento de liquidez mensal. 

Não obstante, é sempre necessário analisar as propostas apresentadas e confirmar se, de facto, a transferência permitirá a poupança que procura.

Transferir o crédito habitação é uma opção que permite aos mutuários mudar o seu empréstimo de um banco para outro e neste artigo vamos explorar os detalhes sobre o seu funcionamento, os custos associados, as vantagens, os cuidados a ter e a frequência com que é possível transferir o crédito.

O que é a Transferência de Crédito Habitação?

Quando formalizamos um crédito habitação com um determinado banco, não estamos obrigados a permanecer com essa entidade para o resto da vida. A transferência de crédito habitação consiste em trocar o empréstimo de um banco para outro, por várias razões. Uma das mais comuns, é a obtenção de melhores condições, a redução da prestação mensal ou o ajuste do prazo do contrato.

Transferir ou Renegociar o Crédito? 

Renegociar um crédito habitação significa ajustar as condições contratuais de um empréstimo existente, sem necessidade de celebrar um novo contrato, desde que ambas as partes concordem. Em contrapartida, a transferência de um crédito habitação para outra entidade requer a celebração de um novo contrato, devido aos procedimentos e normas associados a um contrato de crédito, como a avaliação do imóvel, o cumprimento do rácio LTV, e a apresentação de garantias.

Poderá ter interesse:  Transferir o Crédito habitação: O que precisa de saber

Apesar da complexidade aparente e dos custos envolvidos na transferência, como a comissão de reembolso antecipado, este processo pode resultar em melhores condições, menos garantias exigidas e redução de produtos associados ao contrato. A competição entre os bancos para angariar novos clientes frequentemente leva a ofertas mais competitivas do que as condições atuais do seu crédito habitação, tornando a transferência vantajosa em muitas situações.

Custos associados à Transferência

Ao transferir o crédito habitação, é importante considerar os custos envolvidos. Em alguns casos, os bancos podem oferecer estes serviços como forma de atrair novos clientes.

  1. Comissão de Dossier: Taxa cobrada pelo banco para análise e processamento do pedido de transferência.
  2. Comissão de Avaliação: Valor referente à avaliação do imóvel que será dado como garantia.
  3. Despesas na Instituição Atual: Algumas instituições podem cobrar despesas para cancelar o contrato.
  4. Comissão de Amortização Antecipada e Imposto do Selo: Caso exista um reembolso antecipado do empréstimo.
  5. Distrate: Documento que comprova a extinção ou rescisão da hipoteca do imóvel quando uma dívida é saldada.

Quais as desvantagens de Transferência o Crédito habitação

Como em tudo, também na transferência de um crédito habitação há desvantagens pode apresentar desvantagens. Se a escritura da casa foi realizada antes de 2011, a transferência implica a realização de uma nova escritura, resultando na perda da dedução fiscal no IRS. No entanto, esta perda pode ser compensada por uma poupança superior na nova entidade. Outra desvantagem é a desvalorização do imóvel na nova avaliação, o que pode acarretar custos adicionais e dificultar a transferência. Além disso, embora muitos bancos cubram os custos associados à transferência para atrair clientes, se o novo banco não assumir esses encargos, é necessário calcular se a transferência ainda é vantajosa.

Poderá ter interesse:  Mais-valias: Não pague se vender casa até 2024

Porquê recorrer a um Intermediário de Crédito?

Os intermediários de crédito são profissionais que mediam entre o cliente e as instituições financeiras. Eis algumas vantagens de recorrer a eles:

  1. Negociação Favorável: Devido à relação privilegiada com os bancos, os intermediários conseguem obter melhores condições para o crédito, como taxas de juro mais baixas.
  2. Celeridade do Processo: Os intermediários facilitam todo o processo, poupando tempo e burocracia para o cliente.
  3. Aconselhamento Personalizado: Oferecem um serviço de aconselhamento adaptado à situação financeira e necessidades do cliente.
  4. Gratuito: O serviço dos intermediários é geralmente gratuito.

Cuidados a Ter

Além das vantagens, é essencial que, antes de efetivar a transferência, analise todas as condições do crédito atual comparativamente às novas a contratualizar. Deverá, também, verificar se os produtos como seguros e cartões de crédito aumentam o valor da prestação mensal.

Frequência de Transferência

Não existe um limite fixo para a transferência de crédito. No entanto, é importante ponderar os custos e benefícios antes de tomar essa decisão. Consulte um intermediário de crédito para avaliar a melhor estratégia para o seu caso específico.  

Lembre-se sempre de que a transferência de crédito habitação deve ser uma escolha informada e alinhada com os seus objetivos financeiros.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *